quinta-feira, 7 de julho de 2011

Santo Domingo de La Calzada

Traduzi o texto do site de Santo Domingo de La Calzada, pois foi bem o que me contaram por lá e achei muito interessante a história da cidade e dos milagres que aconteceram alí, que é uma das paradas mais importantes dos peregrinos no Caminho de Santiago desde a Idade Média.
Esta cidade esteve ligada ao Caminho de Santiago desde suas origens no século XI. Santo Domingo, um jovem pastor vindo da região, se educou no monastério de Valvanera e solicitou entrar no famoso monastério de São Millán de la Cogolla. Seu pedido foi negado e então se tornou ajudante de Gregorio de Ostia, quem o ordenou sacerdote.
Com a morte de S. Gregorio Ostiense, Domingo se retirou ao Rio Oja para levar vida de ermitão e assistir aos peregrinos que iam à Compostela. A cidade se chama "de la Calzada" por seu determinado trabalho de manter e melhorar o velho caminho romano que passava entre Nájera e Redecilla del Camino para facilitar a romaria. No ano 1044 construiu uma ponte sobre o Rio Oja, a mais conhecida de toda uma série de pontes que fez sobre rios da região. Também edificou uma capela dedicada a Santa Maria, um hospital e um albergue de peregrinos, hoje restaurado como Parador Nacional de Turismo (que vou mostrar no próximo post pra vocês, é lindo!).
Ao apoderarse da Rioja en 1076, Alfonso VI de Castilha, vendo que o desenvolvimento do Caminho contribuia a seu projeto de castelizacão da região, se tornou partidário do santo, de suas obras e de sua cidade. O "burgo" de Santo Domingo de la Calzada começou com umas poucas casas construídas em torno da moradia de ermitão do santo durante sua vida. Ao morrer Domingo em 1109, já se via ma populaçãoa bem maior. A igreja de Santo Domingo de la Calzada, na qual foi enterrado, foi elevada à catedral pouco depois.



Abaixo o retablo maior

Um dos mais populares milagres da Europa na época medieval é a história de uma família  que fazia a peregrinação rumo à Compostela. Ao passar pela cidade de Santo Domingo se alojaram em uma casa onde havia uma moça que se apaixonou pelo filho da família e contou ao mesmo, mas o jovem não quis saber dela e esta se sentiu humilhada e com raiva. Para se vingar da reijeição pela qual passou ela escondeu um vaso de prata na bagagem do peregrino. Quando os peregrinos saíram para a continuar seu caminho, ela o acusou de ter roubado o vaso.
Os oficiais da cidade prenderam o peregrino e o condenaram à forca. Os pais muito tristes seguiram sua romaria e na volta de Compostela, descubriram que seu filho continuava vivo na forca, milagrosamente sustentado e protegido por Santo Domingo (alguns dizem que foi por Santiago e pela Virgem). Foram então correndo contar para o juíz da cidade, que naquele momento estava à mesa a ponto de comer um prato de frango. Ao ouvir o que afirmavam os pais, replicou com ironia: "Esta historia é tão verdadeira como que este galo e esta galinha vão se levantar do prato e cantar." Assim se levantaram as aves já assadas e começaram a cantar para o assombro de todos.
Entrando na igreja de Santo Domingo, o peregrino medieval podia ver uma caixa de ferro com um galo e uma galinha descendentes, se afirmava, das aves assadas que cantaram. Os peregrinos pegavam as penas caídas das aves sagradas, ou pediam ao sacristão, e as exibiam, orgulhosos, em seus chapéus. Se dizia, que se as aves comessem as migalhas de pão que os romeiros lhes davam na ponta de seus cajados, era una sinal de que chegariam salvos à Compostela. Até hoje os cantos do galo na igreja se consideram sinal de boa sorte. O famoso galinheiro de Santo Domingo de la Calzada, sem dúvidas é a mais curiosa decoração de ostentada por uma igreja.
Acima o tão famoso galhinheiro dentro da catedral e abaixo a imagem de Santo Domingo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui que o mais breve possível eu responderei com prazer!